Depois da instalação de 2500 contentores gigantes na cidade de Queluz, pessoas com deficiência, debilitadas ou idosas não conseguem abrir os contentores. Apresentamos aqui um modelo de contentores utilizado noutras Câmaras.

Antes da instalação de qualquer contentor, existem Câmaras que reflectem publicamente e com participação sobre todo o processo de recolha de lixo e como potenciá-lo. Aumentam as receitas na reciclagem e diminui o lixo visível na cidade.

Noutras Câmaras são criadas eco-ilhas onde os cidadãos são incentivados a fazer a reciclagem. Em muitas ruas, se houvesse um incentivo à reciclagem e mais “educação urbana”, duas eco-ilhas poderiam ser suficiente devido à maior capacidade deste sistema.

A existência de eco-ilhas para a recolha de lixo permitia que as ruas não fossem dominadas por caixotes de lixo muitas vezes com odores para o exterior e com lixo no chão.

Molok : alternativa aos contentores gigantes da CMS

04ComponentesMolokO sistema Molok permite que qualquer pessoa despeje o lixo: seja anã, idosa, criança ou tenha alguma deficiência motora. O contentor tem uma altura menor do que os existentes pois o lixo fica armazenado debaixo de terra num saco descartável. Só este factor dá um aspecto visual às cidades bastante melhor. A altura subterrânea  dos molok ronda um metro e meio sendo a parte superior revestida a madeira (contrariando a cultura de plástico e betão nas cidades).

Exemplo:

molok